Do coração nostálgico

09/09/2006


 

Servido pelas sombras e por luzes ardentes, olhando para o nada ou para
abutres no céu, eu vou levando um coração nostálgico, saudoso; sentindo
do que não foi, do que não fez, a mais mísera falta; olhando tudo como
se só fosse o presságio e é tudo fim. Só… olhando o céu… a folha de
papel, criando viés de solidão.

_______________________________

 

Do Coração Nostálgico

 


Josi Vice

 

6/9/2006 20:43:47
O Nascimento da Rosa
***
Quase outubro, próximo de mais um aniversário,
Mais um ano de quase nada.
Cansado, contagiado pelo mundo a girar.
Como agir? Quem chamar?
Onde é que fica Pasárgada?
Reino deitado abaixo do céu,
Com rios de mel… enjoaria eu.
Amante precipitado, filho revoltado,
Delicado ao peso do pecado…
Meus quinze anos…
Sociedade opressora, família repressora,
Igreja, religião, o ocidental,
a descoberta do oriental, do mal,
de Michael Jackson, Elvis, Beatles, Mamonas Assassinas,
as canções de Sinatra,
a violência de Pulp Fiction,
deus, diabo, um psiquiatra!!!
Lady Di, o anticristo, a Nova Era,
O futuro incerto, o agir quieto…
Quase não agir…
A besta do Apocalipse e seu número,
O corpo, o desafeto,
O querer transfiguração.
Paixões adolescentes, drogas, tendência suicida, pensamentos distantes,
E eu descontente querendo crescer, adoecer, morrer…
Tanta fúria e desrazão.
Então o vômito veio
Com uma gota de sangue, só foi eu cuspir
E das lágrimas uma rosa sorri.

________________________________

 

Um outro boy
***
Ser reconhecido, ouvido;
Chorar de desespero, sem zelo.
Eu também sinto, minto.
Se eu pudesse romper ismos,
Provocar a ira dos eruditos.
Quem dera ser infernismo:
Escuro, sombrio, carnal,
Devasso, anárquico, utópico, palhaço.
Mas a alma vertida em tédio
Chora rios de lágrimas,
charcos de aberrações, gritos de morte,
Falsas ações, navalha, corte.
Deus era uma das faces da escuridão do mundo,
Com arrogância, maldade, intolerância.
Mas seremos um só sopro indo a ele.
Não vitimei a vida em morte voluntária,
Que convivam com meus poemas então.
Saibam de mim centímetros, metros…
Talvez e só seja um outro boy
Escrevendo em outro lugar.

_________________________________

 

´´Antropofagia“

***

 

Rimbaud encarnou em minha vida
Cazuza me tomou os gostos
A Legião Urbana ergueu minha maturidade discreta
Nietzsche retocou minha insolência
Hitler segurou em suas mãos dissolvidas
A minha rebeldia
E reconhecendo Jesus já cheguei a odiar deus.
O amor de Verlaine me tomou
O amor como grito
E foi Caetano quem me fez
Vê-lo como suspiro
E tu também.

_________________________________

 

´´Se eu não precisasse de três desejos“
***
(1-6-1)
A Leônia Lídia

 

Se eu pudesse acreditar na tua felicidade
Se eu pudesse não pensar em ti
Já conheci um outro amor
E até já tentei obedecer
Toda a regra gramatical
Sempre gostei de romances,
O que vivemos parece mais um conto de abandono
E ninguém vai me ver chorar novamente
Errar parece tão humano …
Quero saber de ti
Peço perdão pelo abandono,
Mas deves estar melhor assim
Não prometo esquecer,
Mas viva em paz,
Mesmo sendo com outro rapaz.
Ao menos lembras de mim?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s