Poemas de autoria de Josi Vice

Body Dance

Calor e delírio depois de uma noite
Dentro de uma paixão sem muitos truques
Corpo encontrando corpo
mãos encontrando mãos
Bocas com bocas
Línguas como que em completa fusão
a atração parece algo de pele e toque
algo como uma química
e em um abraço nossos corpos começam a dançar
a balançar, a valsar em uma sensação de paz
pele e cheiro, braços dados
desejo
nãos eio que se passa em sua mente
mas eu amo e não sofro
posso sorrir sem esperar
mas o corpo deseja, pede
Seu pescoço, seus cabelos,seus ombros
e o sorriso tão sincero
Abraço esse sonho e enquanto eu puder sonhar amarei
Vem deixa eu tocar seu corpo
Deixa eu sentir a poesia do teu corpo
a dança do corpo que sente a paixão
Em uma noite dentro de uma paixão sem muitos truques…

Josi Vice

Poemas 11 de abril de 2007

Emotion

Sinto-me próximo ao jardim do Éden diante dos teus lábios, tua pele
Meus olhos a contemplar a beleza nua na cor dos teus olhos
eu posso viver sem medo de perder, pois não me sinto dono de nada
E assim eu me sinto livre, sendo um simples homem
com as mãos vazias e os olhos prontos prar chorarem
Não de tristeza, mas de emoção
Uma emoção que não precisa de muito jogo de conqueista
Que é natural como uma paisagem distante da ganância humana
Eu não criticarei ninguém, pois hoje eu só quero mirar teus olhos
Não quero comopor um fim
Quero continuidade nas linhas
Mas uma hora parece que tudo acaba
e eu me sintoi pronto para entender a naturalidade de um ponto final
E por mais que eu não precidse chorar neste momento
eu até que sinto meus olhos lacrimejando
Pois ouço uma bela música
Uma música que fal de amor, de vida, de paixão,
de emoção.

Balada para um dia de sol

Reparei nas nuvens,
nas folhas secas no quintal,
no vento valsando com os galhos das árvores e com o varal
E pude saber que eu não preciso ter tanto medo assim
Eu sempre quis estender os meus sorrisos a todos os momentos
E tornar tudo de bom em eternidade,
Mas se eu não pudesse chorar de tristeza
Hoje eu não estaria lembrando com alegria
por saber que sofri, que pude sobreviver,
que sou hoje um pouco mais forte e honesto.
Hoje eu reparei nas asas de um pássaro:
a gaiola não o impedia de cantar,
Não sei dizer se era um canto
ou se era um lamento de prisioneiro.
Reparei nas pequenas gotas de suor se formando na pele
e em como o sol se parece com a imagem
que eu tinha da felicidade
Em um dia de sol eu não quero pensar se estou certo ou errado
só quero escrever uma poesia,
Uma balada para um dia de sol

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s