Alice no País das Maravilhas

Alice’s Adventures in Wonderland (no original, apesar de muitas vezes ser chamado de “Alice in Wonderland”), é o livro mais famoso de Lewis Carroll e narra o sonho de uma menina. Como em todo sonho, nesse também são quebradas muitas das regras que regem o mundo real, e essas quebras vão sendo analisadas pela própria personagem principal, em um jogo bastante interessante de se acompanhar.

Destaca-se na história a figura do Coelho, o qual leva a menina para o poço, e as figuras do jogo de cartas, que se movem loucamente, se analisadas sob o ponto de vista da realidade do mundo, mas que ainda assim conservam uma curiosa lógica em seus atos, específica das relações que mantêm com os demais personagens. Cabe à garotinha assistir e tentar compreender todo esse jogo, antes que sua irmã a acorde e a traga de volta para seu próprio ambiente, controlado e conhecido.

Um dos motivos pelo qual muitos leitores não compreendem a história e a consideram sem sentido é que Carrol incorporou várias alusões a poemas da era vitoriana e até mesmo a seus conhecidos, o que pode não ser entendido por não-ingleses, a não ser no caso de carrollianos e leitores do livro Annotated Alice, de Martin Gardner.

Alice A história de Alice se originou quando Charles Lutwidge Dodson estava fazendo um passeio de barco no rio Tâmisa com Alice Liddell e suas irmãs, em 1862. Lá ele começou a contar uma história que deu origem à atual. A Alice do mundo real pediu-lhe que escrevesse o conto para ela.

Dodgson atendeu ao pedido e em 1864 deu-lhe de aniversário um manuscripto chamado Alice’s Adventures Underground, ou As Aventuras de Alice embaixo da Terra. Mostrou-o também a um amigo seu de nome MacDonald, que o convenceu a publicar o livro. Dodgson mudou a versão original, aumentando de 18 mil palavras para 35 mil, notavelmente acrescentando as cenas do Gato de Cheshire e do Chapeleiro Louco (ou Chapeleiro Maluco).

A tiragem inicial de dois mil exemplares de 1865 foi removida, pois o ilustrador, John Tenniel, não gostou da qualidade da impressão. A segunda tiragem esgotou-se nas vendas rapidamente. A obra tornou-se um grande sucesso, tendo sido lida por Oscar Wilde e pela rainha Vitória e tendo sido traduzida para mais de 50 línguas.

Em 1998, a primeiríssima edição do livro (a que foi removida por Tenniel) foi leiloada por 1,5 milhão de dólares americanos.

  • Alice – é uma garota muito inteligente e curiosa. É divertido ver suas observações sobre seu sonho; ela adora exibir seus conhecimentos, que são amplos para sua idade.
  • Coelho Branco – é o primeiro animal falante que Alice vê, e também o animal que Alice segue. Parece estar sempre apressado e é autoritário com seus empregados, como Mary Ann e o Lagarta Bill.
  • Lebre de Março, Arganaz (ou Leirão e Dormidongo) e Chapeleiro Maluco, totalmente loucos (como todos os moradores do País das Maravilhas, segundo o Gato Risonho). Sempre estão tomando chá, porque, segundo eles, o Chapeleiro brigou com o tempo e sempre é 6hs da tarde para eles. O Chapeleiro aparentemente teve problemas com a Rainha ao tocar uma música em sua presença. O Arganaz está sempre dormindo, e ocasionalmente acorda durante alguns segundos.
  • Rei e Rainha de Copas – A Rainha vive mandando que seus criados (cartas de baralho) cortem a cabeça de todos os seus convidados, mas o Grifo disse que isso é apenas fantasia dela. Ela é raivosa e autoritária. O rei tem menos influência do que ela.
  • Duquesa – Muito feia. Concordava com tudo que Alice dizia e sempre achava a moral de cada coisa, embora raramente uma coisa tivesse relação com a outra.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s