A prática do Le Parkour

O Parkour é uma prática de treinamento físico e mental, sendo assim podemos agrupar ao treinamento exercícios de tonificação muscular, como o planche, agachamentos, abdominais, flexões e outros.

Traceurs ou Traceuses (para mulheres) são praticantes de Parkour e costumam se reunir em locais com grande número de obstáculos, estudam cada um deles e fazem experimentos antes de executar movimentos e exercícios deste disciplina. A natureza dos exercícios exige que seus praticantes possuam um excelente preparo físico, saibam e respeitem sempre os seus limites, para buscar quebra-los no momento certo, assumindo e tendo consiência dos riscos e de suas limitações. Tudo isso tendo como base o pensamento “ser forte para ser útil”, destacando que um verdadeiro Traceur está pronto para situações inesperadas e sempre disposto a ajudar.

Para se tornar um traceur e aconselhável que seja por volta dos quinze anos porque nessa altura o corpo humano encontra-se melhor preparado para possiveis acidentes e choques enquanto não chegas lá basta-te preparar a força muscular.

Há variantes nas denominações devido a fatores como:

  • Grande popularização da prática, causando o uso do Inglês
  • Falta de familiaridade com a língua francesa
  • Adaptação do termo ao idioma local

Temos como exemplo o fato de que alguns grupos (Crews ou Clãs) denominam Atterissage (seguindo a tradição da França), outros chamam Landing (pela adaptação em Inglês, para compreedimento geral) ou Aterrissagem (tradução direta ao Português). A maioria dos Traceurs tem conhecimento das 3 formas.

Sem limitações de espaços para ser praticado, o parkour é acessível a todos, possibilitando o auto-conhecimento corpo humano e mente como o desenvolvimento da força, resistência, coordenação motora, ao mesmo tempo que desenvolve a concentração, força de vontade, determinação e coragem. Qualidades que favorecem o bem estar e a qualidade de vida, educando jovens ávidos por novas experiências. Um traceur ou traceuse é potencialmente um ótimo praticante de outras atividades físicas que necessitam de auto-controle, agilidade, destreza, força, raciocino rápido e observação.

Parkour oferece grande liberdade e custo minímo para ser praticado, sendo recomendados os seguintes acessórios

  • Calça leve
  • Camiseta leve
  • Tênis esportivo

Todos os equipamentos ou acessórios são opcionais — possibilitando ser praticado com luvas ou até descalço e seminu.

O parkour requer absoluta concentração e consciência de seus obstáculos como: avaliação de distância, avaliação de capacidade e avaliação de risco. O conjunto mental é combinado ao controle e poder do corpo e do espírito. Seus praticantes costumam adotar a seguinte frase para descrever parte de sua filosofia: “É ridículo procurar liberdade e acabar quebrado numa cadeira de rodas”. Mesmo assim o parkour é uma arte que requer disciplina, treinando sua mente com bom-senso, e respeitando seus limites. Desse modo, acidentes podem ser amenizados ou até evitados.

São raros os acidentes relacionados a esta arte, mas podem ser graves — devido a se subestimarem os riscos da prática e à excitação dos jovens em fazer algo incrível que viram através de amigos, colegas ou vídeos na TV ou Internet.

A definição básica da finalidade do parkour observando instintivamente nos remete a idéia de Andar e Correr, transpor obstáculos seria seu aperfeiçoamento, sua evolução.

  • Kash Vault
  • Handed Vault
    • One Handed Vault
    • Two Handed Vault
  • Cat-To-Cat
  • Wallrun (Subida de muro)
  • Monkey (Passar o corpo entre os braços, aponhando no obstaculo)
  • Jump (Saltar de Um lugar para outro)
  • Há tambêm fusão de movimentos.
  • Monkey to Precision – consisteLDismount, swinging jump:âché [la.ʃe]/ em um monkey com aterrissagem em Precisão;
  • Monkey to Cat – um monkey visando terminar em um cat leap;
  • Diving Roll – rolamento megulhado, em português.
  • Movimentos Estéticos são movimentos que têm sua utilidade questionada. Estão intimamente ligados ao Free running.

  • Dash Vault (com utilidade)
  • 360° Underbar (com utilidade)
  • 360° Catleap
  • Flip Vault (também mortal e back flip)
  • Reverse Vault (com utilidSalto estático de um objeto para outro objeto ou ponto específico, geralmente uma borda ou lugar pequeno.
  • ade)
  • Railspring
  • Handspring
  • Wallspin
  • Palmspin
  • Tic Tac 360°
  • Aterrissagem / aterragem: Amortecimento suave a fim de evitar lesões articulares
  • Equilíbrio em barras ou muros
  • Equilíbrio em movimento quadrupedal como um gato.
  • Por baixo da barra: Passa-se por baixo do obstaculo — geralmente por baixo de uma barra — ao invés de o saltar ou o sobrepor. Qualquer passagem por frestas também é chamado de Underbar aqui no Brasil.
  • Rolamento: Rolamento evasivo a fim de amortecer, ou criar embalo após um amortecimento
  • Passagem de muros ou paredes: “Chuta-se” a parede de forma que de impulso para cima e agarra-se com a(s) mão(s)e sobe-se o muro.
  • Vault/ Passement [pas.mɑ̃]: Termo geral para sobrepor um obstáculo usando um movimento.
  • Lâché [la.ʃe]/ Dismount, swinging jump: Se soltar de um lugar para cair em outro.
  • Demitour [dəmi tuʁ]/ Turn vault: Saltar sobre o obstáculo como um two handed e ficar do outro lado de forma que o corpo faça um giro de 180°, geralmente terminado em Dismont.
  • Reverse vault/ Reversa passagem de obstáculo: Saltar sobre o obstáculo apoiando as duas mãos de forma que o corpo faça um giro de 360°.
  • Salto do gato: Salto feito para se fixar em um lugar pendurando com as mãos.
  • Pulo do gato: Salto em que se “mergulha” sobre o obstáculo, onde no fim as mãos tocam o obstáculo e em seguida as pernas passam entre os braços e é feita a aterrissagem.
  • Saut de fond [so d fɔ̃] / Drop
  • Salto com distância: Salto com velocidade de um local para outro ponto ou local, passando por uma “fenda”, normalmente seguido de rolamento.
  • Salto de precisão: Salto estático de um objeto para outro objeto ou ponto específico, geralmente uma borda ou lugar pequeno.
  • Subida: Subida em um lugar usando os braços, sem ajuda das pernas, como o exercício de barra
  • Tic tac: “Chuta-se” um obstáculo ou objeto, usando o impulso para atingir o segundo local, ou ainda, para um terceiro ou quarto.

Anúncios

2 pensamentos sobre “A prática do Le Parkour

  1. dyh disse:

    mto massa isso mas tenhu medo de começar e ñ conseguir fazer

  2. muito bom mesmo praticamos aqui no Arraial d`Ajuda Bahia e a galerinha aqui e muito show tem muito dos requezitos aqui apresentados. Equipe Le Parkour Evolution

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s